Ciências Humanas não Humana

Este é um texto desabafo.

Se tem uma coisa que me deixa frustrada e triste em relação a universidade na qual eu estudo é a falta de humanização. Coisa da minha cabeça mesmo. Eu observo sempre, as aulas dos professores, na maior parte Doutores e sua relação com os estudantes.

Alguns tem até bom relacionamento, mas me parece que os títulos nos distanciam. Temos os meros graduandos, e os professores com seus devidos títulos. E isso, muitas vezes nos dá um medo de fazer algumas críticas em relação ao posicionamento de alguns professores.

Outra coisa, que eu não gosto na universidade, é o fato de qualquer opinião que os estudantes queiram compartilhar, tem que vir com um, ” assim como pessoa tal” (uma pessoa que já escreveu um livro, ou já morreu, ou é considerado de muita importância na academia, ou tudo isso junto). Pois, se a gente não citar alguém, a nossa opinião é mero senso comum. Tudo bem, e se for? O senso comum também é de suma importância, muitas vezes vieram deles as dicas da vovó (olha que muitas funcionam, viu?).

Eu gosto da universidade, gosto de aprender, mas eu não gosto de me deixar levar por certos padrões. E eu sei sim, a importância da leitura e que a partir dela podemos ter uma troca de conhecimento, sei também a importância do embasamento teórico e que temos que respeitar os professores, não estou indo contra nada disso.

O que quero dizer é que não gostaria de ter medo de alguns professores, pelo fato de serem doutores, e esse título de alguma forma, nos separar. Não gostaria que o senso comum fosse visto de uma maneira tão negativa e que eu precise sempre dizer que estou dizendo isso, pois fulano de tal, que é melhor (é o que parece) que a gente, disse isso.  (Ha, também não quero tirar a importância de fulano de tal, viu?). E nem queria ver estudantes sendo expulsos (por puro constrangimento), da sala de aula, pois a leitura do texto é mais importante que a troca de aprendizado entre estudante e professor.

A universidade ainda é restrita para muitas pessoas, como a que eu estudo, que fica longe dos Centros populares. Um local que deveria ser aberto para pessoas que não precisam necessariamente ser estudantes. Sim, ela não tem muros, mas se formos levar em consideração que uma pessoa aqui da Ceilândia, onde moro, queira ir na universidade, de vez em quando e precise pegar dois ônibus e gastar 10 reais de passagem. Haa…. depois de pensar nisso bate até um desânimo.

A universidade, deveria ir até as pessoas, em projetos sociais, por exemplo. O que adianta a discussão sobre feminismo ficar só ali? E não chega mais longe.

Pode ser que eu esteja generalizando. Existem alguns poucos projetos. Mas é evidente que há essa carência. A universidade precisa se humanizar mais. A Ciências humanas (estudo um curso de Ciências humanas, então é o olhar, sobretudo dela que tenho tido), que é humanas, não se humaniza, quem dirá a universidade. Mas não adianta só falar, né? rsrs

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s