Aprendi com o Transformar 2015…

Foto: Luciana Serra
Foto: Luciana Serra

Olá! Na semana passada participei pela manhã do Transformar 2015 através do Canal Futura bem aqui na minha casa no DF. A educação não tem mesmo fronteiras e buscar estar aprendendo tanto na Universidade e fora dela é de suma importância. Valorizo muito minha formação na Universidade, mas acredito que para eu ter uma formação mais completa preciso buscar aprender em outros espaços. E se tem um lugar que eu sempre vou aqui na rede é no Porvir e lá descobri o Transformar.

Mas, o que é/foi o Transformar?

Um evento sobre inovação na educação que traz experiências que estão transformando a educação do país e do mundo.

Promovido por Fundação Lemann, Inspirare/Porvir e Instituto Península, o evento busca promover o debate sobre as últimas tendências em educação, unindo especialistas nacionais e internacionais. Nesta edição, os participantes vão viver um dia inteiro de experiências novas e surpreendentes, enquanto debatem sobre metodologias, processos e infraestrutura necessários para implementar inovações educacionais.

Essa descrição do que é o evento está no futuro, mas o evento já aconteceu e eu venho aqui compartilhar o que eu aprendi com ele. O Transformar falou sobre Currículo e Interdisciplinaridade, Competências para a vida no século 21, Ensino Híbrido, dentre outros temas que estão no mundo da educação atual.

Transformar2015_25
Foto: Luciana Serra

As primeiras frases que eu anotei que apareceram no evento foram:

  • Fazer a diferença na Educação.
  • Como ter uma Educação que gere mais sentido?
  • Ensino Híbrido, movimento Maker, conectividade, novas formas de avaliação.
Transformar2015_32
Foto: Luciana Serra

Assisti a palestra da Marjo Kyllönen, Gestora Educacional na Divisão de Educação Geral de Helsinki (olhem aí no Porvir), Finlândia e as frases que eu anotei de seu discurso foram:

  • O papel da escola na sociedade é possibilitar oportunidades iguais para todos. Eles sabiam que para a Finlândia ter sucesso eles tinham que promover isso.
  • Quais as competências para o futuro? (Vamos pensar?)
  • Há uma grande lacuna entre escola e a vida real.
  • A configuração da escola é quase a mesma e também a repetição da forma tradicional de ensinar e aprender.
  • Escola para quê? Competências do futuro: 1) Colaboração 2) Raciocínio Lógico 3) Criatividade
  • Será que a aprendizagem pode ser divertida e inspiradora?
  • Na escola do futuro o foco é uma aprendizagem que tenha significado. Fortalecendo também as habilidades sociais, como a colaboração.
  • A aprendizagem tem que ser vinculada com a vida real.
  • Na Finlândia a avaliação = Processo em si, não apenas no fim.
  • EDUCAÇÃO BASEADA EM FENÔMENOS: Entidades complexas, em vez de porções isoladas de conhecimento

11143713_961524523868272_1856418176293261301_n

Essa forma de pensar a Educação me chama muito a atenção. E é muito bom vermos que funciona. Sabemos que existem escolas e escolas, que cada uma funciona de um jeito, mas que na educação temos sempre que nos construir e reconstruir, pois ela está em movimento.

11947609_959919297362128_6012060397425253128_n

Esses foram alguns dos aprendizados com o Transformar 2015. No site do Transformar e do Porvir aparecem muito mais histórias e experiências de educações inovadoras (algumas informações que estão aqui busquei lá). Cheguem lá!

Conheça o livro “Volta ao mundo em 13 escolas”

Nosso propósito: inspirar pessoas em busca de novos modelos de educação, a partir de uma jornada de conhecimento por iniciativas transformadoras no mundo. Coletivo Educ-ação

1413647425_8086d2d3c2_o
Môsieur J. [version 9.1]
Volta ao mundo em 13 escolas é um livro do coletivo Educ-ação formado por André Gravatá, Camila Piza, Carla Mayumi e Eduardo Shimahara, que conta experiências de escolas de vários lugares do mundo. Mas o massa mesmo do livro é que ele relata experiências de escolas não muito comuns, mas que estão com os seus ideais bem próximas da realidade de uma educação contemporânea.

Eu achei super interessante a proposta de conhecer práticas inovadoras e mais criativas de educação. Estudo Pedagogia, um curso visto com bastante estereótipo, que tento quebrar sempre que falo para as pessoas sobre estudá-lo. Porém eu sinto muita falta de estudar essas práticas inovadoras de educação, que buscam a autonomia do aluno e também liberdade para o professor, de criar espaços e caminhos diferentes para ensinar. Eu adoraria saber que as pessoas se interessam por educação e por uma Éduc-ação, que seja e que faça. E acredito que esse livro, que eu ainda não pude destrinchar totalmente, possa inspirar e motivar os futuros educadores à fazerem uma educação inovadora de verdade, não apenas pelo salário, mas por reconhecerem sua importância e capacidade de fazerem o melhor, entendendo as dificuldades, mas não colocando-as em primeiro lugar.

Não quero falar mais sobre o livro para que vocês fiquem curiosos e busquem saber que escolas são essas, algumas no Brasil, uma na Espanha, Argentina, Indonésia, África do Sul e …

Como eu não preciso falar muito, fiquem com um TEDx Talks sobre o livro.

Cadê o livro mesmo? Tá aqui ó e é claro não deixem de curtirem a página do Coletivo no Facebook. Tchauzin!

Documentário – Quando sinto que já sei

 Imagem: Quando sinto que já sei/Divulgação
Screen-Shot-2014-07-01-at-6.59.28-AM-940x383
Imagem: Quando sinto que já sei/Divulgação
Screen-Shot-2014-07-01-at-7.08.25-AM-940x383
Imagem: Quando sinto que já sei/Divulgação
Screen-Shot-2014-07-01-at-6.51.52-AM-940x383
Imagem: Quando sinto que já sei/Divulgação

O filme Quando sinto que já sei, com direção de Antonio Sagrado, Raul Perez e Anderson Lima, é um filme que apresenta a realidade de algumas práticas alternativas de educação, no Brasil. Mostrando o posicionamento de professores, gestores, pais e alunos.

É um documentário bastante interessante para quem gosta de educação e gosta de pensar novas práticas de fazer acontecer a educação. Mas recomendo que até mesmo, se você não é um estudioso da educação, assista o filme pois todo mundo está relacionado à ela. E não adianta apenas criticar a educação no Brasil, tem que procurar conhecer a educação e tentar resolver alguns mínimos problemas, começando primeiramente pela tomada de consciência.

Eu estou fazendo uma pesquisa na faculdade, que toma como base esse filme, iremos fazer uma análise crítica do mesmo e estudar as práticas alternativas de educação. Depois eu conto pra vocês o resultado. Inté mais 😉 Aproveitem!

Quando sinto que já sei: FACEBOOK / SITE